quinta-feira, 2 de abril de 2015

Não há lugar

NÃO HÁ LUGAR

Dentro das cenas que tanto narramos nas cantatas de natal, uma das que mais me chama a atenção é quando José e Maria chegam em Belém, procuram um lugar para se hospedarem e a frase que mais ouvem é “não há lugar”. Não há lugar para o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores. Não há lugar para o Deus encarnado.

Já adulto, na plenitude de seu ministério, ao ser abordado por pessoas desejosas para seguí-lo, Jesus os lembra de que "o Filho do Homem não tem onde reclinar a cabeça”. Não há lugar para o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores. Não há lugar para o Deus encarnado.

Jesus, depois de 33 anos de caminhada, “finalmente" encontrou lugar no Calvário, encontrou lugar num túmulo. Lugares que não eram dEle,  eram para nós, mas os tomou para si.

Mas a Morte, humilhada e derrotada, disse a Jesus ao terceiro dia: “Não há lugar para o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores. Não há lugar para o Deus encarnado.”

E hoje, Cristo nos conforta com a promessa que Ele mesmo está preparando um lugar para nós, para estarmos juntos eternamente além do rio com o Rei dos Reis, o Senhor dos Senhores, o Deus encarnado!

“Não se perturbe o coração de vocês. Creiam em Deus; creiam também em mim. Na casa de meu Pai há muitos aposentos; se não fosse assim, eu lhes teria dito. Vou preparar- lhes lugar. E se eu for e lhes preparar lugar, voltarei e os levarei para mim, para que vocês estejam onde eu estiver. Vocês conhecem o caminho para onde vou”

João 14:1-4

terça-feira, 25 de dezembro de 2012

Do que você gosta mais?

Meu sobrinho-primo, de quatro anos, estava contando o que ele costuma fazer na chácara do seu vovô. Nós perguntamos o que ele mais gostava na chácara. Ele respondeu sem pensar: 

- Do vovô!

Fiquei surpreso com a resposta dele. Para uma criança responder que "o rio, o pé de manga, o cachorro..." seria mais normal.

A beleza e a naturalidade da resposta dele me chamou a atenção e, ao mesmo tempo, me incomodou bastante. Onde temos encontrado o prazer da vida? Nas pessoas ou nas coisas?  Será que nossos olhos não estão perdidos nas coisas e deixando pessoas em segundo plano? Não estou condenando o fato de gostar de fazenda, de pássaros, de árvores ou de bola e bicicleta. A grande questão é do que gostamos mais! Meu sobrinho-primo ama a chácara e tudo que tem lá, mas o que ele mais gosta é a presença do vovô. A chácara sem o vovô fica sem graça. Perde o sentido.

Quero fazer um exercício de alma e colocar o as coisas nos seus devidos lugares e valorizar mais as pessoas que me cercam. Topa fazer também? Vamos lá:

O melhor do jantar é a companhia.
O melhor de brincar, é quem brinca comigo.
O que mais gosto da música, são meus parceiros de banda.
O mais bacana da viagem, é quem viaja comigo.
O que mais gosto da minha cidade, são dos cidadãos.
A beleza da minha casa, é a minha família.
O melhor da igreja, são os irmãos.
O prazer da oração, é falar com Deus.
O que mais gosto do culto, é a presença do Espírito Santo.
O melhor do Céu, é estar eternamente com Jesus!

Vamos nessa que é bom a beça!






segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Veja Graça no Natal


Natal é uma oportunidade rara de perceber - de forma mais explícita - o amor e a graça do Deus Criador. Gostaria de descrever o que vejo nos elementos natalinos (bíblicos ou não). Meu desejo é que você mude seu olhar também.

Vamos começar pelo presépio, a imagem mais evidente, bíblica e histórica de como o nascimento do bebê Jesus pôde se tornar um marco no caminho da humanidade. Vemos no presépio a figura de José e Maria, pessoas normais participando do maior e mais sublime projeto divino. O bebê é Deus Filho deixando sua glória para ficar, humildemente, mais perto de nós. É Emanuel, Deus conosco.

Quando vejo árvores multicoloridas lembro-me de como Jesus torna nossa vida mais cheia de cores. O que era banal, insignificante, invisível no dia-a-dia, se torna visível, apreciável e admirável, encantando a todos e colocando um sorriso no rosto de quem contempla tal beleza.

Natal de luzes! E quantas luzes! Neste mundo tenebroso, humanidade sem rumo, perdida nos seus caminhos escuros, Jesus vem até nós como a luz no fim do túnel, a esperança viva de que ainda não chegou o fim. E aqueles que são imitadores de Cristo, são pequenas luzes que conduzem outros à divina luz de Jesus.

Até Jesus quando nasceu ganhou presente! Jesus entende as crianças melhor do que qualquer um. Tente explicar à uma criança que presentes não representam o Natal, se o nascimento de Jesus foi o grande presente de Deus para a humanidade. Outra coisa, como é lindo ver pessoas humildes ou abastadas, lotando lojas e shoppings, para gastar seu dinheiro comprando presentes  com tanto carinho para outras pessoas. Acho até incrível comprar presentes para as crianças e falar que foi o papai Noel quem deu. Os pais não querem nem a glória para si. Isso não é uma coisa normal, é sensacional num mundo onde as pessoas pensam só em si mesmas.

O melhor de tudo é reunir a família, sentar à mesa, saborear um banquete maravilhoso! Gente, vem me falar que isso não é bíblico ou divino? O próprio Senhor Jesus um dia ceará conosco - agora sua família - no Céu. Jesus, na parábola do filho pródigo, conta como o Pai fez um banquete quando seu filho retornou para seus braços. Reunir a família é o desejo mais profundo do Deus Pai.  Reunir a família é o momento oportuno de pedir perdão, de perdoar, matar a saudade e, claro, celebrar!

Portanto, enfeite uma árvore, coloque luzes em sua janela, compre presentes, reúna a família em volta da mesa e celebre bastante. Pode ser sua última oportunidade.

Papai Noel? Aí já é demais!

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

A Sala das Janelas.


Tenho pensado muito sobre oração - confesso que tenho mais pensado do que orado - o que realmente ela é, como deve ser feita, qual o seu papel na vida da gente e em nosso relacionamento com um Deus que não é gente como a gente.

Jesus nos ensina sobre oração em Mateus 6 até o versículo 12 do capítulo 7, principalmente corrigindo erros cometidos pelos religiosos da época que faziam de suas orações um espetáculo em praça pública. O texto também enfatiza algumas palavras como: em secreto; recompensa; os outros; ansiedade; Reino de Deus e justiça; persistência e volta a enfatizar "os outros" no versículo 12.

Em Filipenses 4 Paulo deixa um alerta para transformarmos os motivos de estarmos ansiosos em oração, súplicas e graças. Interessante é que Paulo está fazendo é uma exortação ao saber que Evódia e Sintique estavam em conflito, no versículo 4 reforça: "seja vossa amabilidade conhecida por todos". A questão oração e "o outro" volta à tona. A paz de Deus prometida nos versículos 7 e 9 não se trata somente de uma paz interior, acalmando um coração aflito, mas de uma paz comunitária, falamos de relacionamento interpessoal pacificado.

Tiago em sua carta (5:13-16), fala também sobre oração em seu aspecto comunitário de forma bem simples e prática "... orem uns pelos outros para serem curados".

Penso que a oração é mais que um diálogo, uma comunicação entre o cristão e Deus. Estou chegando à conclusão de que oração é um lugar. Lugar onde os nossos olhos deixam de olhar somente nossas dificuldades particulares e nossos anseios individuais. Oração é um lugar onde paramos de lutar com a força do nosso braço e descansamos confiantes em Deus. Oração é um lugar onde a necessidade do outro, o sofrimento, a alegria, a paz do outro,  é percebida em primeiro plano, compaixão pelo próximo é o que movimenta a nossa alma.


Acredito que na oração existem duas etapas ou andares. Vou tentar explicar isso de maneira mais lúdica. Imagine comigo. No primeiro andar há uma sala sem janelas e toda revestida de espelhos. Lá eu vejo quem eu sou, vejo refletidos meus pecados, meus medos, meus problemas, tenho que encarar, sem máscaras, a realidade do que sou e vivo. 


Mas de maneira graciosa Jesus entra na sala e os espelhos passam a refletir somente a imagem de Jesus. Eu não me vejo mais, somente a Jesus. Ele então segura em minha mão e me leva para um andar superior. Lá não há espelhos, mas sim, amplas janelas por todos os lados. De lá posso contemplar a alegria dos outros e me alegrar com eles, posso ver e sentir o sofrimento dos outros, posso, então, interceder por eles de forma verdadeira.


A oração é um lugar, não um lugar comum, mas onde Deus segura em nossa mão, nos leva à sala das janelas e nos mostra o que Ele quer que vejamos e sintamos. Quando dobrar os meus joelhos e fechar os meus olhos é lá onde quero chegar.






segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

Meu projeto para 2012?

Não gosto de viradas de ano, não gosto de festejar o meu aniversário. Essas datas geram em mim uma crise imensa, fico um pouco deprimido e facilmente irritável. Deve ser algo parecido com TPM. A música Epitáfio (Titãs) descreve mais ou menos o que acontece comigo. É a "crise do que não fiz ou não fui".

Com o passar dos anos tenho evitado fazer planos e projetos. Não consigo ver resultado nisso, pelo menos na minha vida. Já ouvi gente muito boa falando sobre projetos, objetivos, metas... blá, blá, blá... é muito lindo, mas parece que não é pra mim. Reconheço que meu pensamento é uma forma de fuga covarde. Não faço projetos com objetivos estabelecidos e datados, portanto, estou livre de decepções e frustrações. Isso também é um engano, não me ajuda em nada.

Pintado o retrato da minha crise, o que fazer então? Colocar uma mochila nas costas e sair por aí cantando "Deixa a vida me levar" de Zeca Pagodinho? Também não. Tenho compromissos, responsabilidades, tenho família, filhos, tenho um chamado, tenho uma missão.

Vou arriscar desejar algo para o ano que chega e me esforçar para que isso aconteça: orar mais. O risco não está na oração em si,  o risco é de não desejar orar.

Existe um Deus que já governa a história, que projeta e realiza, tudo em amor para se relacionar conosco. Que meus objetivos sejam simplesmente uma reverberação dos propósitos soberanos de Pai. Falar com Deus faz bem à alma, fará bem à minha alma. É a única coisa que preciso para 2012.

Escrever este texto já me fez sentir bem melhor. Acho que vou escrever mais em 2012 também.

Assista esse lindo clipe do Grupo Novo Tom. Música Falar com Deus.




segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Estar entre os poucos

Estava numa reunião de estudo bíblico das terças, o Pr. Rogério comentou sobre o versículo "o amor de muitos se esfriaria". Uma coisa me chamou a atenção nesse texto: a palavra "muitos". Daquele momento em diante comecei a pensar como é vital estarmos entre os "poucos". No livro de Mateus encontrei alguns textos onde Jesus nos mostra como isso é verdade.
"A seara é grande, mas poucos os ceifeiros." (9:37)
"Porque muitos são chamados, mas poucos escolhidos" (22:14)
"...apertado é o caminho que leva à vida, e poucos a encontrarão." (7:13)
"Muitos virão em meu nome, dizendo: Eu sou o Cristo; e enganarão a muitos." (24:5)
"Muitos serão escandalizados, trair-se-ão e odiarão uns aos outros" (24:10)
"Surgirão muitos falsos profetas e enganarão a muitos." (24:11)
"...o amor de muitos se esfriará." (24:12)
Estar entre os muitos, entre a maioria, não é sinônimo de força ou de que se está no caminho certo. Prefiro estar entre os poucos que vão encarar a seara, que serão escolhidos, que não serão enganados, que se amarão, que encontrarão o Caminho que leva à vida.

quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Vale a pena conhecer: Eduardo Mano e os Tapetes Voadores


Voz de Eduardo Mano, base de violão folk, melodias marcantes com letras que falam de verdades, velhas verdades. Projeto surpreendentemente criativo, original, artístico e de bom gosto. As músicas estão disponíveis para download gratuito, mas o bom mesmo é comprar o CD físico, com capa produzidas artesanalmente.
Entre no site   http://eduardomano.net/velhasverdades/

segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Igreja -Cidadã e o Rabo da Igreja

Gostaria de começar dizendo que sou ciente de que meu texto é irrelevante e que não tem poder de influenciar ninguém. É um simples desabafo.

Hoje vi a notícia nos jornais: "Congresso aprova aumento de 40% do próprio salário". Isso gerou em mim uma indignação muito grande. Não me surpreende mais o fato de políticos aumentarem seus rendimentos abusivamente. Minha indignação é com o silêncio da igreja.

Onde estão os pregadores televisivos, que eloquentemente ajudam a eleger bandidos? Onde estão as super-igrejas com suas passeatas e marchas? Onde estão os cantores "gospel" que lotam estádios e cantam em programas de auditório? Onde estão os “homens de Deus” que expulsam todos os demônios, curam todas as doenças, que oram e todos ficam ricos? Onde estão os teólogos e seus seminários?

Fico imaginando como seria uma igreja-cidadã. Igreja só é cidadã para votar, isso se prega durante as campanhas. Mas quando é preciso cobrar, se revoltar, pressionar, lutar pela justiça e verdade… aí não. “Nesse caso devemos ser submissos às autoridades. Elas são constituídas por Deus”.
Pense como não seria diferente, se a igreja-cidadã, de forma pacífica e democrática, juntasse milhões de cristãos se manifestando, fazendo passeatas, caravanas para Brasília, se pronunciando em todos seus programas de TV, influenciando e mobilizando todo o Brasil para uma pressão sufocante até deputados e senadores votarem contra o aumento dos seus salários?

Qual o motivo do silêncio da igreja? Ela está com o “rabo preso” no lodo. Políticos cristãos são o “rabo”da igreja-instituição.

O Brasil não precisa de políticos cristãos, o Brasil precisa da igreja-cidadã. Cidadã do reino dos céus, sim, mas brasileira também. Não para benefício próprio, mas para o bem do próximo.


terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Procura-se um coração

O que Deus procura é um coração
Um coração endurecido
para quebrantar
Um coração quebrantado
para perdoar
Um coração machucado
para curar
Um coração perdoado
para ser perdoador
Um coração de servo
para trabalhar
Um coração humilde
para agradecer
Um coração grato
para adorar
O que Deus procura é um coração

-----------------------------------------------------------------------
Poema escrito durante um estudo bíblico sobre Davi
ministrado pelo pr. Rogério Tolentino.

Quando o sol se vai



Quando o sol se vai
Mergulhando entre os montes
Preso nele o véu da noite
Uma saudade vem

Saudade do que não fiz
Saudade do que eu quis
Saudade de alguém

Vermelho é a cor do céu
É um sinal pra que eu pare
Chegou a hora de pensar
Na vida que se se tem

Pensar no que eu fiz
Pensar no que eu quis
Pensar em alguém

Quando o sol se vai
Vejo o dia, ficou para trás
E não volta mais

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Extreme Grace






Eu gosto muito de assistir àquele programa Extreme Makeover, um reality show cujo objetivo é reconstruir totalmente, em apenas 7 dias, a casa de alguma família pobre ou com alguma outra necessidade, que tenha se inscrito ou sido indicada. É a versão original e bem mais potente de outros programas que vemos por aí.

Todas as vezes que assisto, choro. O programa tem um apelo emocional muito grande. As famílias têm sempre uma história muito triste, mas com um "final feliz". E o que mais me deixa impressionado é que elas ganham uma nova casa, inimaginavelmente maravilhosa, cheia de tecnologia, grande, aconchegante, cara... e o que as famílias dão em troca? Nada. Tudo de graça. É graça.

Em um dos episódios, além de reformarem a casa, pagaram toda a hipoteca (estavam quase perdendo a casa). Todas as outras contas que estavam em aberto foram pagas. Que coisa incrível!

Eu vejo a Graça nisso tudo. Lembro-me do que Deus fez e faz conosco. Perdoa as nossas dívidas, paga as hipotecas, transforma-nos em casa do Espírito, nos garante o sustento e provisão todos os dias, enche o lar de paz e alegria, a vida é pintada com novas e brilhantes cores. Tudo coordenado pelo Arquiteto do Universo!

Mas no programa Extreme Makeover a equipe de arquitetos e decoradores vai embora no fim. A família, com a casa nova, terá que andar com os próprios pés rumo a um futuro incerto. Não é maravilhoso pensar que Deus faz toda a reforma e vem morar conosco, dentro de nós? Ele não parte e nos deixa sós. Caminha junto em direção a um futuro já preparado por Ele mesmo, a Morada Celestial!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Os que enxergam...


Trecho do livro "Descobrindo Deus nos lugares mais inesperados" de Philip Yancey:

"A terra está impregnada com o céu
E cada arbusto inflamado de Deus
Mas somente os que enxergam descalçam as sandálias."

Elizabeth Barrett Browning

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Últimos livros que eu li e estou lendo.

Lidos:

1. "O Intercessor", Norman Grubb. Bonito testemunho, mas no geral é fraquinho.
2. "Plano Mestre de Evangelismo" de Robert Coleman. Sobre o método de evangelismo praticado por Jesus. Simples e didático.
3. "Por Que Sou Cristão" de John Stott. Leitura obrigatória. Se não leu corra e leia.
4. "A Hora e a Vez dos Leigos" de Paul Stevens. Simplesmente fantástico!

Estou lendo:

1. "Descobrindo Deus nos lugares mais inesperados" de Philip Yancey. Vale a pena.
2. "Depressão Espiritual" de M.Lloyd Jones. Sobre a perturbação da alma humana. Até agora está um pouco chato.

sábado, 12 de setembro de 2009

David. The best in the world.

Nesta semana, estava lendo o salmo 26 e eu achei Davi um cara muito chato. Ele se auto declara justo! Que absurdo! E o salmo é uma relação de seus atos santos e sentimentos perfeitos para deixar Deus impressionado ao ver um homem na terra tão santo.

No versículo 2 ele, o santo e justo Davi, se garante e convida Deus para examiná-lo, prová-lo, fazer uma investigação em seu coração, quebrar sigilo bancário... Resumindo, Davi disse: "Pode montar uma CPI celestial, não vão descobrir nada, eu sou o cara."

Ainda bem que Davi escreveu outros salmos. Prefiro o Davi do salmo 25, que declara sua confiança na misericórdia de Deus. No versículo 7, clama para que Deus não se lembre dos seus pecados, bom e reto é só o Senhor. Olha só o que ele diz no versículo 11: "Por causa do teu nome, Senhor, perdoa a minha iniquidade, que é grande."

Acho que o salmo 25 cairia melhor se colocado depois do 26.

Davi é assim, cheio de conflitos interiores. Tem seus momentos de bobeira, mas também, de sensibilidade espiritual, paixão por Deus. Se acha "o cara", mas também, se acha "o lixo". Davi é assim, eu sou assim, você é assim, nós todos somos assim.

sábado, 5 de setembro de 2009

Disco em gestação.

O próximo disco está em processo de planejamento e composição. Estou sem tempo para o blog. Mas, em breve, estarei de volta e com novidades!

segunda-feira, 3 de agosto de 2009

Eu e o Dinheiro


Estou lendo agora "O Homem e o Dinheiro" de Jacques Ellul. É um livro, no mínimo, incomodador.

Sabe quando você, lá no fundo, concorda com algo que não condiz com seus atos e pensamentos até aquele momento? Quando temos o costume de ir a um certo restaurante e mas depois  descobrimos que a cozinha não está dentro dos padrões mínimos de higiene, e então, não conseguimos mais voltar lá, com nojo da comida que tanto apreciávamos? É mais ou menos isso que a leitura deste livro está provocando em mim  em relação ao dinheiro.

Ficou curioso? Eu também estou. Está sendo muito interessante entender melhor o que Jesus nos ensina sobre dinheiro. É bem diferente do que estamos acostumados a ouvir por aí.

E não fique com esperança de que o irmão Jacques mude de ideia, porque isso não será possível. Ele morreu pensando assim mesmo sobre grana.

Boa leitura!

sexta-feira, 10 de julho de 2009

Plugados em tudo, refletindo em nada.

Acabei de assistir a um debate na TV Cultura, sobre o excesso de tecnologia em comunicação, interatividade, informação, acessibilidade e mobilidade, seus benefícios e malefícios. Adolescentes se gabam em afirmar que conseguem absorver esse bombardeio de informação com tranquilidade. Eu nunca acreditei nisso. Se você está lendo este texto e ao mesmo tempo está ouvindo música, conversando no celular e teclando no messenger, faça-me o favor, não vou ficar chateado, pare de ler agora e leia depois com mais calma.

Durante o programa fizeram um teste com alguns adolescentes, fazendo tudo que citei acima e depois o apresentador fez várias perguntas sobre as informações lançadas, um teste de percepção e atenção. O resultado foi uma lástima. Percebeu-se que eles ouvem mas não sabem dizer que música ouviram, leem textos mas não sabem comentar o que leram. Enquanto conversavam ao celular assuntos toscos, foram mostradas dez imagens de animais e objetos e eles não conseguiram citar mais de duas.

Há um desperdício de informação que não é refletida, analisada, esquadrinhada, pesquisada, sacudida, passada na peneira da verdade e no funil da prioridade. Tá certo, tá certo... não temos mais tempo pra fazer tudo isso. Esse é um grande problema se formos analisar profundamente sobre tudo. A pretensão de estar plugado em tudo é que nos desconecta do que realmente tem algum valor significante.

Coma menos, mas coma deliciando-se com o sabor. Ouça menos música, mas emocione-se com cada som que ouvir. Leia menos, mas leia desvendando um mapa do tesouro. Apreciar os detalhes e refletir sobre eles é encontrar riquezas.

A falta de reflexão é desplugar a alma da vida.

"De que adianta o homem ganhar o mundo inteiro e perder a sua alma."

sábado, 27 de junho de 2009

Clareza ou Confiança?


Comecei a ler o livro Confiança Cega, de Brennan Manning, e estou fascinado. Estou no primeiro capítulo e já recomendo. Tem um trecho do livro que gostaria de compartilhar com meus amigos leitores.


John Kavanaugh foi trabalhar em Calcutá, ele estava à procura de uma clara resposta sobre como viver melhor os anos que lhe restavam de vida. Quando se encontrou com Madre Teresa, pediu a ela:
- Ore para que eu tenha clareza.
E ela disse com firmeza:
- Não, não vou orar por isso.
Quando lhe perguntou o porquê, ela respondeu:
- Clareza é a última coisa a que você deve se apegar...
Nunca tive clareza, o que eu sempre tive foi CONFIANÇA. Então vou orar para que você CONFIE em Deus.



Depois dessa não ouso escrever mais nada por hoje.

quinta-feira, 25 de junho de 2009

Nós vamos porque Ele veio!


Estive compartilhando nesta quarta, na igreja em que congrego uma palavra sobre o lindo Salmo 24 a qual gostaria de transcrevê-lo, ou tentar transcrever para o blog. Vamos lá.

O texto se divide em duas partes, em duas estrofes, pois é uma música de Davi.

Na primeira parte o assunto é a grandiosidade de Deus como criador e a pergunta "Quem subirá ao monte do Senhor?". Nós que somos tão pequenos diante de um Deus tão grande, nós que somos pecadores diante de um Deus tão santo, parece algo impossível. Quem poderá chegar até Deus?

Davi mesmo responde no v.4: "Aquele que é puro de coração e de mão limpas, livre de vaidade e engano".

Mas quem pode dizer que tem o coração puro e mãos limpas? A resposta é curta e triste: ninguém. "Todos pecaram e carecem da glória de Deus." Rm 3:23.

Então vamos deixar de buscar a presença de Deus? Não, claro que não. Passemos agora para a segunda estrofe da música.

Davi, inspirado pelo Espírito Santo, profetiza sobre o Rei da Glória, sobre a chegada triunfal do Senhor Jesus para estabelecer o seu Reino Eterno.

A resposta está aí! Davi nos fala a respeito de um Deus que não está somente no alto de uma montanha, num lugar tão alto que não podemos alcançar. O texto nos mostra um Deus que desce até nós, num Deus que VEM. É Ele quem se aproxima de nós e se coloca num lugar acessível e fala conosco: "Eu estou aqui", "Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-O enquanto está PERTO". Deus não está escondido, Deus não está longe, Ele está conosco, é Emanuel!

Ele está à porta e bate. Nos resta apenas abrir as velhas portas e deixar o Rei da Glória entrar!

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Verdades e mentiras


Pensando num arranjo para uma música que diz: "somos luz do mundo, vamos brilhar em todo lugar", estava concentrado, preparando-me para gravar quando um homem começa a bater palmas no portão de casa, bem forte e insistentemente. Aquilo me irritou muito, me levantei e fui ver o que queriam. Era um rapaz com a aquela história de sempre: que chegou de algum lugar, mas aqui estava muito difícil, passando muita dificuldade... na verdade eu nem prestei atenção no que ele estava falando. Enfiei as mãos nos bolsos da calça, não achei nada e disse a ele que não tinha dinheiro. Mas o rapaz, desolado, disse que não queria dinheiro, queria um pouco de qualquer comida, estava com muita fome. Nem pensei. Disse que não tinha como arrumar e fechei a porta.

Voltei para o meu escritório, peguei o violão, pensei na música... e não consegui fazer mais nada. Um sentimento de vergonha profunda me encheu, pensei em procurar o pedinte na rua, mas não consegui sair do lugar. Fiquei muito abatido.

Isso é a verdade-mentira que Caio Fábio em seu livro Enigma da Graça descreve. Cantamos verdades em si, mas são mentiras em nós. Jesus também afirma que a adoração deve ser em espírito e em verdade, essa verdade de Jesus deve ser a mesma da verdade-verdade de Caio. É verdade no espírito e verdade na vida.

Tem hora que é melhor enfiar a viola no saco, calar, pensar, arrepender-se e buscar o perdão através do sangue dAquele que é a Verdade que nos purifica de toda mentira.

quinta-feira, 18 de junho de 2009

Mais que um sono


Hoje tive uma revelação! Talvez seja de mim para mim mesmo, mas tive.

"Aos seus amados Ele o dá enquanto dormem." Salmos 127: 2 (Atualizada)
"Senhor concede o sono àqueles a quem ele ama."Salmos 127:2 (NVI)

Hoje de madrugadinha meu filho acordou chorando no berço. Meio dormindo, meio acordado (é claro), eu o peguei no colo, o aqueci e ele se calou. Relutou para não fechar os olhos por um período, mas logo se rendeu e voltou a dormir. Ali, no escuro, com aquele anjinho nos meu braços, aproveitei bastante para cheirar o cangote dele, fazer carinho,  beijá-lo. Eu o abracei, orei por ele e disse baixinho que o amava. Ao mesmo tempo, percebi porque Deus se agrada em nos dar o sono do salmo 127.

Quando acordamos, levantamos correndo, sempre atrasados pra fazer alguma coisa. Pensamos que se pararmos um pouquinho o mundo vai parar de girar e o sol vai cair do céu. Como se a vida estivesse na UTI e o nosso ativismo fosse manter os aparelhos ligados.

Mas aos seus amados Ele dá o sono... e enquanto dormimos perdemos a noção de tempo e espaço. A consciência se desliga, as janelas da alma se fecham, o corpo tenso se "embaianece" (imagine um baiano na rede depois do almoço). Vejo que o sono é mais que um descansar da alma e do corpo. Hoje percebi que pode ser o momento em que Deus aproveita para cheirar o nosso cangote, fazer carinho, cafuné... nos tomar em seu colo e ficar falando bem baixinho: "Filho, eu te amo e estou cuidando de você".

Quando amanhece, acordamos e voltamos para nosso inútil dia a dia. E Deus fica esperando chegar a noite, para fazer o que não O deixamos fazer durante o dia.